Colágeno para a pele: como e por que usufruir de seus benefícios Ele é responsável por garantir firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões

Colágeno para a pele: como e por que usufruir de seus benefícios

Atualmente, muito se fala sobre a importância do consumo de colágeno, especialmente a partir dos 30 anos. Mas, você sabe exatamente o que é o colágeno e quais são suas funções? Quando e por que é indicada a suplementação?

Primeiramente, é preciso entender que o melhor colágeno hidrolisado compõe a maioria dos tecidos e órgãos do corpo humano. Está presente na pele, cartilagens, ossos e tecido conjuntivo. Ou seja, é produzido naturalmente pelo corpo, mas também pode ser encontrado em alimentos como carne e gelatina, por exemplo, além de em cremes hidratantes e nos (hoje, famosos) suplementos alimentares (em cápsulas, em pó, entre outras formas).

Bruno Vargas, dermatologista graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e sócio-proprietário da Clínica Inovatto (em Belo Horizonte), ressalta que na pele, o colágeno é responsável por conferir resistência e firmeza.

“Com o envelhecimento, a pele vai perdendo a capacidade de sintetizar as fibras colágenas, o que leva à perda de sustentação do tecido e ao aspecto envelhecido da mesma. O processo do envelhecimento da pele é acelerado pela degradação do colágeno e pela ação direta da radiação ultravioleta do sol e das fontes artificiais”, explica o dermatologista.

Neste sentido, com o passar dos anos, torna-se importante a reposição de colágeno, tanto através de alimentos, como (em muitos casos) a partir de suplementos alimentares.

Leia também: 10 alimentos anti-idade que você deve incluir na sua dieta

Benefícios do colágeno
Lilian Silva de Andrade, nutricionista da Nutri Factory, destaca que o colágeno tem inúmeros benefícios, dentre eles: a função de contribuir com a resistência e estrutura para todo o organismo, além de proporcionar elasticidade aos tecidos, dando firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões.

A nutricionista explica que, em cada parte do corpo, o colágeno irá atuar de uma maneira:

Nos ossos, permite a firmeza.
Nas articulações, ele atua como lubrificante dando a elasticidade articular.
Nos tendões, dá rigidez e força.
Atua no fortalecimento dos ossos, articulações, unhas e cabelos.
Atua na melhora da elasticidade da pele, contribuindo para a melhora da aparência da celulite.
Contribui ainda para a perda de peso, pois promove maior saciedade.
Por tudo isso, o colágeno é visto como um grande aliado da beleza, combatendo, inclusive, o envelhecimento precoce.

Quando a reposição de colágeno é indicada?

FOTO: GETTY IMAGES

É importante ressaltar que, a partir dos 30 anos de idade, ocorre uma redução gradual na produção de colágeno pelo corpo humano. “Nota-se que, a partir dessa idade, os músculos ficam mais flácidos, a densidade dos ossos é reduzida e as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora”, comenta Lilian.

Já aos 50 anos, a produção diminui drasticamente e chega apenas a 35% da sua produção total. “Vale destacar ainda que as mulheres sofrem um pouco mais com essa perda na produção de colágeno, devido à produção diminuída do hormônio estrogênio na menopausa. Então se faz necessária uma alimentação saudável com bastante fontes de proteínas, além de exercícios físicos e, muitas vezes, a suplementação, visando assim estimular a produção do colágeno no nosso corpo”, diz a nutricionista.

Leia também: 11 dicas simples para parecer mais jovem

O dermatologista Vargas destaca que não existe regra, mas, de um modo geral: pessoas que possuem uma alimentação deficitária do ponto de vista proteico, atletas e pessoas muito expostas a agentes que aceleram o processo de degradação das fibras colágenas (como o sol e o fumo) são beneficiadas com a suplementação do colágeno hidrolisado.

Alimentos que são fonte de colágeno
Mas, afinal, como contar com uma dieta que contribua para a reposição de colágeno?

Lilian explica que os alimentos mais ricos em colágeno são aqueles de origem animal, como carnes vermelhas ou brancas, e as gelatinas incolores (que possuem menos toxinas). Exemplos que a nutricionista destaca:

Carnes vermelhas;
Peixes;
Ovos;
Leites e derivados como iogurtes (de preferência os menos gordurosos);
Queijos brancos (cottage);
Frango sem a pele.
“Uma dica superimportante: o colágeno irá atuar de forma mais efetiva e eficaz quando associado a uma alimentação saudável, ou seja, é indispensável o consumo de alimentos que sejam ricos em vitaminas e minerais como vitamina C e vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício”, acrescenta a nutricionista.

Como repor colágeno no caso de vegetarianos?

FOTO: GETTY IMAGES

No caso de pessoas vegetarianas, é extremamente importante realizar um acompanhamento com um profissional da saúde, para que uma dieta equilibrada e saudável seja prescrita. “Uma das formas mais eficazes para se obter o colágeno nesses casos é uma dieta rica em proteínas vegetais e alimentos fontes de vitamina C (que auxiliará na melhor absorção desses nutrientes)”, diz Lilian.

Leia também: 14 truques de beleza da vovó que ainda funcionam

As melhores fontes vegetais, de acordo com a nutricionista, são:

Cereais (milho, trigo, aveia, arroz, quinua etc.)
Leguminosas (lentilha, feijões, soja, grão de bico, ervilha etc.)
“O primeiro passo para uma boa produção de colágeno é manter uma alimentação bastante diversificada, rica em alimentos de fonte integral, selênio (castanha do Brasil), zinco (semente de girassol), vitamina C ( laranja, acerola) e vitamina E (amêndoas)”, acrescenta Lilian.

Suplementação com colágeno

FOTO: GETTY IMAGES

Atualmente, a suplementação de colágeno apresenta-se de várias formas: em pó, balas, chocolates, shakes, gelatinas, chás, iogurtes e cápsulas. “Vale lembrar que a forma mais eficaz e eficiente deve ser sempre orientada por um profissional habilitado, e respeitando sempre a necessidade de cada indivíduo”, diz Lilian.

“Estudos comprovam que a forma em pó hidrolisada é a mais eficaz (cerca de 90% é absorvida), isso facilita a manter uma pele firme, devido ao processo de hidrólise. Uma pequena quantidade do produto contém uma maior concentração de colágeno puro e ele será totalmente absorvido pelo organismo. Uma das formas menos eficientes é a gelatina, que contém baixa concentração de proteína, além disso, é rica em açúcares, corantes e aditivos químicos”, destaca a nutricionista.

Quando o consumo é em cápsulas, segundo Lilian, recomenda-se tomar uma ou duas cápsulas por dia, juntamente com um copo de água.

Leia também: 24 receitas de suco verde para adicionar ao seu cardápio

Um detalhe é que: por mais que existam alguns cosméticos que contem com colágeno em suas formulações (ou seja, para uso tópico), são as versões orais as mais eficientes, por agirem de forma progressiva na camada mais profunda da pele.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *